Adufscar

Sindicato dos Docentes em Instituições Federais de Ensino Superior dos Municípios de São Carlos, Araras e Sorocaba

Publicado em 16.03.2018

NÃO PODEMOS NOS CALAR

“Enfrentar a violência não com a ponta do fuzil, mas com a ponta do lápis”

Marielle Franco

Os professores da UFSCar e do IFSP-São Carlos se somam à indignação que toma conta do Brasil diante da crueldade inominável que pôs fim à vida da jovem vereadora carioca, militante dos direitos humanos e dos direitos das mulheres negras faveladas em especial, Marielle Franco. Trazemos nossos mais profundos sentimentos à sua família e às/aos suas(seus) companheiras(os) de vida e de luta.

Mas em um momento trágico como este não basta nossa solidariedade. Porque as balas que covardemente assassinaram Marielle tentam também matar o sonho de uma sociedade brasileira mais justa, com dignidade e cidadania para todas e todos, onde impere a civilidade e a paz. Com tristeza vemos a intolerância ser diariamente cultivada na mídia hegemônica, que termina por disseminar a crença de que violência se combate com violência. Mas, citando Marielle: “a violência nas favelas não se enfrenta com a ponta de um fuzil, mas com a ponta de um lápis”. Foi essa a mulher que mataram, cujo sonho era essencialmente o mesmo dos Anísios, Darcys, Freires, patronos da educação brasileira.

Isso atinge profundamente a nós, como educadores. Mas essa tragédia só será maior se tiver sido em vão. Por isso esta nota de luto é também um manifesto de todos nós, docentes universitários. Uma profissão de fé de que nossa missão continuará sendo cumprida, cultivando na Universidade os valores da razão e da cultura, da tolerância, civilidade e democracia. Por nossa vocação, mas também para honrar nossos mortos como Cancellier e Marielle, vítimas de um momento histórico em que o estado democrático de direito se desmancha no ar.

Nossa maior homenagem será provar que aquele sonho continua a ser construído. E que um dia prevalecerá.

Marielle vive.

ADUFSCar, Sindicato